CANÇÃO DE PROTESTO E EXíLIO | Olhares de quem lá passou

SF | 24-09-2020 | DOSSIÊ Canto de protesto e exílio |Encontro da Canção de Protesto – Grândola

O Encontro fechou portas no domingo dia 20 de setembro à noite e as opiniões sobre a qualidade e o interesse da iniciativa foram unânimes: tratou-se de um evento inesquecível. Fica aqui a voz de alguns e algumas participantes, de forma simples e sumária.

Paula Sequeiros, para o ano há mais

O fim de semana que passou, fica. inesquecível momento de reencontros, amplos, solidários, raros. Grândola, que ficou ainda mais morena, a acolher tão bem. Tanta gente boa, tanta vontade de continuar. entre gerações, o 25A como imperativo político de democracia e sobrevida em resistência contra as opressões – a fascista, a colonial/racista, a patriarcal em particular.

Hip-hop, Capicua – Chullage – Lbc Soldjah Soldjah, o potente, fabuloso GAC – Afonso Dias, o Sérgio Godinho, Domingos Morais e Alexandre Alves Costa, Fanhais – Tino Flores – Cília, João Madeira, Agnès Pellerin, o Coro da Achada, a Soraia Andrade, a força do José Fortes, a lição do Manuel Pedro Ferreira, o Hélder Costa, o exílio no filme do José Vieira, as Associações (AJA, entre outras), o Observatório da Canção de Protesto, um presidente de Câmara que faz um discurso inteligente e facilita uma organização comprometida e muitos cuidados com saúde pública.

Espaços cheios de debate, proximidade social e política. O tornado (alterações climáticas, existem) passou ao lado, o Sérgio cantou no dia seguinte. O Coiso não saiu do covil, o antifascismo em Évora brinca e dança e canta em serviço. como tem de ser. para o ano há mais

Anália Gomes, exilados da guerra

José Fortes pôs no ar um depoimento do José Mário Branco. O interessante é que foi a única intervenção, a do Zé Mário, que falou da relação entre os exilados artistas e os emigrantes, nomeadamente os exilados da guerra, refractários etc. Falou do triste episódio do espetáculo na Maison de la Mutualité. Foi projetado o panfleto Cause, camarade, cause.

José Zaluar, Liberdade!

De quinta-feira dia 17/9 até domingo 20 reunimo-nos em Grândola terra da Fraternidade para o segundo Encontro da Canção de Protesto, sob a égide do Observatório do mesmo nome e da Câmara Municipal de Grândola.

Foram três dias maravilhosos de canções, debates e sobretudo de amizade fraterna que ficará na memória dos que lá estiveram! A parte mais forte do Programa deste ano foi a homenagem à memória do nosso querido José Mário Branco e à Canção do Exilio como referência da luta contra a ditadura salazarenta.

Se fôssemos procurar uma palavra para intitular o Encontro deste ano 2020 seria fácil escolher…Liberdade!!!

Foto @ Anália Gomes