AGENDA |Vidas Prisionáveis com Manuel Alegre

SEM FRONTEIRAS | 30 de outubro 2020 | AGENDA | Museu do Aljube Resistência e Liberdade organiza no próximo dia 18 de novembro às 16h00.

Com fotografia de Luiz Carvalho, Manuel Alegre é apresentado nos seguintes termos:

Nasceu em Águeda em 1936, estudou Direito em Coimbra, onde foi um ativo dirigente estudantil. Apoiou a candidatura de Humberto Delgado.

Açores

A sua tomada de posição sobre a ditadura e a guerra colonial levam o regime de Salazar a chamá-lo para o serviço militar em 1961, sendo colocado nos Açores, onde tenta uma ocupação da ilha de S. Miguel, com Melo Antunes.

Angola

Em 1962 é mobilizado para Angola, onde dirige uma tentativa pioneira de revolta militar. É preso pela PIDE em Luanda, em 1963, durante 6 meses. Na cadeia conhece escritores angolanos como Luandino Vieira, António Jacinto e António Cardoso. Colocado com residência fixa em Coimbra, acaba por passar à clandestinidade e sair para o exílio em 1964.

Argel

Passou dez anos exilado em Argel, onde foi dirigente da Frente Patriótica de Libertação Nacional e se tornou uma das vozes da Resistência aos microfones da emissora «A Voz da Liberdade».

Regressou a Portugal dias depois do 25 de Abril de 1974.Manuel Alegre é o convidado de Vidas Prisionáveis. Uma conversa com Ana Sousa Dias, dia 18 de novembro às 16 horas.

A entrada é gratuita, limitada ao espaço existente e mediante inscrição prévia e obrigatória para info@museudoaljube.pt

A sessão será, como habitualmente, gravada e ficará brevemente disponível no nosso Centro de Documentação.

Fonte Museu do Aljube Resistência e Liberdade | Foto © Luiz Carvalho