CULTURA |Cartão de Amigo /Livre Trânsito A Barraca

SEM FRONTEIRAS | 27 de novembro 2020 | Solidariedade com A Barraca

Projetos culturais arrasados em circunstâncias dramáticas que a resiliência habitual não consegue superar. Uma coisa é lutar pelo reconhecimento e pela igualdade de tratamento, pelos apoios legítimos para quem presta serviço público de cultura, como A Barraca sempre fez. Outra, é enfrentar o vazio, a ausência de público, porque a pandemia não o favorece.

Desde o tempo da Alexandre Herculano que A Barraca viveu, sobreviveu, porque lutou. Mas os termos atuais da ação de resistência e de afirmação são outros. Dificilmente A Barraca sem a solidariedade dos seus AMIGOS conseguirá permanecer ao serviço de todos. Leiam a carta que o Helder Costa e a Direção da A Barraca nos dirige. E depois de ler, não hesitem. Ação!

Depois de adquirirem o Cartão Amigo / Livre Trânsito, enviem-nos um pequeno texto (e uma fotografia à vossa escolha, porque não com momentos vividos na A Barraca) e nós publicaremos no SEM FRONTEIRAS, por prazer em divulgar O Grupo de Teatro e por dever de solidariedade.

por Helder Costa | Direção da A Barraca

Queridos amigos,

Eventos Culturais com Quebras de 80%.

A Barraca tem este ano um grande saldo negativo que decorre da ausência de público em grande parte decorrente da situação sanitária..

O público adulto e escolar costuma cobrir anualmente um terço das nossas despesas e o seu lugar foi preenchido este ano por um enorme vazio.

Todas as verbas resultantes de apoios e curtas e raras receitas foram aplicadas  no pagamento de salários e na enorme carga de impostos que nunca abrandou. .

A Barraca é constituída por 12 actores, 4 técnicos, 2 directores,  secretariado e produção e limpeza e toda a gente recebeu  os seus ordenados. E com um baixissimo apoio do Estado mantivemos durante todo este ano de catástrofe mundial mesmo aqueles que se encontram pagos a recibos verdes, cujo compromisso com a Companhia se limita à programação temporária.

Não queremos fazer disto um desastre particular porque a  situação é geral, a excepção, se ela existe, está em nunca termos parado de trabalhar e, sempre que nos foi autorizado, termos tentado dentro do Teatro ou a céu aberto  chegar ao público que sentisse a nossa falta.

No entanto o povo português não foi educado a sentir falta da cultura. São poucos os que vivem mal sem livros, sem teatro, sem exposições. Foram muitos anos de ignorância imposta e é indispensável um enorme esforço publicitário para que o apelo se faça. Porém a publicidade é cara, é dificultada e é snob. Só atrai os já atraídos. Assim um bom jantar, uma almoçarada, uma ida às compras, uma noite de “mapling”  a ver televisão boa ou péssima é  infinitamente mais atraente do que uma sessão cultural. E assim os artistas e os outros trabalhadores da cultura foram transformados numa espécie de pobres de pedir, adictos de vícios  de que poucos, além deles, sentem a falta.

Aos que sentem que fazemos falta

A 15 e 16 de Dezembro Antestreia especial do nosso próximo espectáculo

UM  IVANOV  de Tchekov. Com encenação de Maria do Céu Guerra e participação de toda a Barraca

A partir de 2021- carreira regular do mesmo espectáculo.

Mas o nosso dinheiro acabou. Os ordenados estarão bloquedaos a partir do fim do mês de Novembro e as despesas de estreia são absolutamente impossíveis de cobrir.

Vimos por este meio convidar-vos a enviar à Barraca  a verba  que corresponde ao custo do Cartão de Amigo /Livre Trânsito 50 €.

Durante um Ano, ao longo de  2021, poderá assistir acompanhado a todas as nossas sessões no Teatro Cinearte. 

É para muitos um gesto de repetida confiança e esperamos que seja  uma situação nova para muitos outros.

NIB: 0036 0087 9910006631293

Obrigada, Pl’A Barraca, A Direcção

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*