COOPERAÇÃO | Memória histórica e democrática na Andaluzia não pode ficar paralisada

MEMÓRIA HISTÓRICA | Memória histórica e democrática | ANDALUZIA

SEM FRONTEIRAS | 24 de março 2021 | Cooperação e solidariedade | Baseado em Rui Mota

Os organizadores da concentração são muito claro. Está tudo parado. Não publicam nada e não avançam com o plano que foi estabelecido para que aspetos essenciais da memória histórica e democrática venham ao de cima e tenham visibilidade. O objetivo da concentração é entregar um MANIFESTO que dá nota destas questões críticas e reclama ação! No entendimento das associações envolvidas na iniciativa o Manifesto deve ser entregue a todos os grupos parlamentares do Parlamento da Andaluzia.

CONCENTRAÇÃO PELA MEMÓRIA HISTÓRICA EM FRENTE DO PARLAMENTO DA ANDALUZIA

A Assembleia de Familiares e das Associações de Memória Histórica da Plaza de la Gavidia convocou uma Concentração para a próxima quinta-feira, 25 de março, às 17h30, em frente ao Parlamento da Andaluzia, para protestar contra a paralisia que o Governo da Junta de Andalucía está a tratar da questão da Memória Histórica e Democrática, o que resultou, entre outras coisas, na supressão da Direção-Geral da Memória Histórica e da sua transferência das suas atribuições para a Vereação da Cultura.

“Entendemos que as ações do Governo da Junta nesta área mostram desprezo pelas vítimas do regime de Franco e uma violação da Lei 2/2017 sobre a Memória Histórica e Democrática da Andaluzia” afirmam os organizadores.

Manifesto

Nesta concentração, será lido um Manifesto dirigido à Presidente do Parlamento da Andaluzia, com um pedido que o faça chegar a todos os grupos parlamentares. O Manifesto contou com o apoio de mais de 60 entidades cidadãs.

Informação baseada em Rui Mota e nas associações organizadoras.

Foto de destaque © Europress.

Archivo – Trabajos de exhumación de la fosa común de Pico Reja, ubicada en el cementerio de San Fernando – María José López – Europa Press – Archivo

1 Comment

  1. Solidariedade Internacional com as vítimas do fascismo espanhol (mais de 115.000 assassinados e enterrados em valas comuns, que ainda aguardam pela exumação, após 45 anos da queda do franquismo). A Espanha, é, depois do Camboja, o país com maior número de assassinados/valas comuns do Mundo!

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*